27 de março de 2017

Um bom criado, um mau patrão

Um mês depois do fogo controlado é já possível ver como está a evoluir a área queimada.

A razão da Montis recorrer ao fogo controlado é a melhoria das condições de gestão, quer da área queimada, quer das áreas envolventes.

A área intervencionada (laranja) situa-se no extremo leste da área sob gestão da Montis (azul), possibilitando simultaneamente melhores condições de gestão e melhorando as condições de gestão em incêndios futuros no total da propriedade. 




A área queimada possuía maioritariamente matos relativamente baixos(tojos, urzes e carquejas), e núcleos de giestal alto.

Antes do fogo, com a colaboração dos sapadores florestais de S. Cristóvão, foi necessário preparar as faixas de contenção, no limite oeste da área a queimar, que acompanhava uma linha de água com giestas de 3 metros. De resto, a maior parte do perímetro a queimar era constituído por caminhos, que são naturalmente faixas de contenção.






No dia 23 de Fevereiro, com a presença dos Bombeiros Voluntários de S. Pedro do Sul, os Sapadores Florestais de S. Cristovão e da Junta de Freguesia de Carvalhais e Candal, a GIFF executou o fogo controlado.

O esquema que se segue serve para mostrar como o fogo foi conduzido consoante as características do terreno e a vegetação presente, sendo possível variar as propriedades do fogo consoante as necessidades.



O fogo iniciou-se pelo extremo norte, onde os matos permitiram o seu avanço rápido e de acordo com o pretendido, eliminação dos combustíveis finos e deposição das cinzas no solo. Na segunda fase, o fogo avançou para o interior da área sendo sempre acompanhado nos limites.



Na área a sudoeste, o núcleo de giestas origina mais problemas,por haver pouco combustível próximo do solo e o seu teor de humidade não facilitar a propagação do fogo. Por isso permaneceram algumas manchas de giestas, mesmo tendo-se intensificado o fogo nessas bolsas de giestal.



Por fim, duas linhas de fogo em sentidos contrários (linhas verdes no esquema), percorreram a área ainda por arder, encontrando-se e provocando a extinção do fogo. Face à exposição da vertente e à brisa de final de dia que se fazia sentir, as chamas eram visíveis a grandes distâncias, o que originou algumas chamadas de pessoas das aldeias vizinhas para os bombeiros, avisando do fogo.

  

Por questões de segurança fez-se o rescaldo da faixa de contenção, na única vez que se utilizou água ao longo do dia (o fogo foi sempre controlado com recurso a ferramentas manuais).



A baixa intensidade do fogo é visível através deste exemplo, onde na visita à área após 15 dias, a vegetação já dá sinais de vida, o material queimado mantém a sua estrutura e o solo não apresenta sinais de erosão considerável.

Tudo isto, será discutido no próximo passeio do fogo, no dia 13 de Maio, com António Salgueiro, o responsável pelo fogo controlado de dia 23 de Fevereiro, a guiar-nos.

Visitaremos, então, o baldio de Carvalhais e poderemos discutir o uso de fogo como instrumento de gestão, suas vantagens e desvantagens e as suas diferenças em relação aos fogos de Verão. 


24 de março de 2017

Amanhã é dia de Assembleia Geral... e de Passeio mensal

No dia 25 de Março, amanhã, é o passeio mensal da Montis.

passeio tem início às 11h com partida da sede da Montis (Av. João de Melo, nº 23, Vouzela).



Num percurso de 3,8 Km's, de baixa dificuldade, iremos caminhar na área circundante de Vouzela, com uma duração estimada de 3 horas, com uma pausa para a merenda a meio do percurso.

As inscrições para o passeio podem ser feitas através de montisacn@gmail.com ou do nr. 926277545 (Luís Lopes). O seguro de acidentes pessoais apenas estará disponível para inscrições recebidas até às 17h de dia 24/03.

Às 15h00, será a Assembleia Geral Ordinária, que terá lugar na sede da Montis, Av. João de Melo, nº23, Vouzela.



A sala já está preparada, ficamos à vossa espera.

Até amanhã!

20 de março de 2017

Oficina de Engenharia Natural - Abril

Nos dias 22 e 23 de Abril, será a 3ª Oficina de Engenharia Natural da Montis, e com ela, nova oportunidade de aprender ou praticar diferentes métodos de gestão de terrenos através da engenharia natural.



A oficina será no baldio de Carvalhais, gerido pela Montis, em União de freguesias de Carvalhais e Candal, S. Pedro do Sul.

A formação é assegurada por Aldo Freitas (Ecosalix - Sistemas Ecológicos de Engenharia Natural), conciliando a componente teórica à componente prática de trabalho no terreno, porque acreditamos que fazer é a melhor forma de aprender.

Sobre as oficinas anteriores: 1ª oficina2ª oficina.

Inscrições:
50 € sócios da Montis
75 € não-sócios
Com a possibilidade dos não sócios se tornarem sócios no ato de inscrição e beneficiarem do desconto (70 €)

Nº de participantes: Máx. 10

O valor da inscrição inclui alimentação, alojamento em tendas individuais (alternativas de alojamento disponíveis, porém não assegurado pela Montis), seguro de acidente pessoal, material de proteção e certificado de participação.

Inscrições e pedidos de informação através do e-mail montisacn@gmail.com ou do nº 926277545 (Luís Lopes).

Venham daí!

17 de março de 2017

Assembleia Geral e Novas Aquisições

Olá a todos!

A Montis tem mais um membro na sua equipa, a Sara.


“E quem é a Sara?” perguntam vocês. Pois bem, a Sara sou eu, essa jovem que vêem na imagem. Querem saber mais sobre mim e sobre o trabalho que a Montis desenvolveu em 2016? Compareçam na Assembleia-Geral, no dia 25 de Março, na sede da Montis às 11:00. Iniciaremos o dia com um passeio até à Associação Mata Sustentável, onde faremos uma pausa para merenda. Depois retornaremos à sede para dar início à Assembleia.

Para  quem não puder comparecer (espero que muito poucos), certamente haverá mais oportunidades para travar conhecimento. Teremos pelo menos 9 meses para trabalhar em conjunto para o sucesso de todos e, claro está, da Montis.

Como de costume, a Montis organiza uma bolsa de boleias, pelo que nos devem contactar se tiverem lugares disponíveis ou necessidade de boleia. Além disso, há um grupo que vem de bicicleta do Porto. Os interessados em juntar-se à aventura também nos podem contactar.

Até dia 25 de Março!

Cumprimentos,

Sara Sequeira

15 de março de 2017

Assembleia Geral Ordinária Montis

Dia 25 de Março pelas 15h00 terá lugar a Assembleia Geral Ordinária, na sede da Montis, Av. João de Melo, nº23, Vouzela.

A curto prazo serão disponibilizados os documentos mencionados na ordem de trabalhos.

A Assembleia Geral será precedida pelo passeio mensal da Montis, com inicio às 11h, na sede da Montis, numa visita às áreas circundantes de Vouzela, por entre lameiros e bosques serpenteados pelo rio Zela. 

Um dos locais de passagem do passeio.

13 de março de 2017

O voluntariado de ontem

O dia de voluntariado do mês de Março decorreu ontem no baldio da Granja, Granja, Freguesia de Valadares, englobado nas atividades culturais da freguesia (Agenda Cultural de Valadares).

O plano do dia era efectuar uma acção de gestão e controlo das mimosas (Acácia dealbata) presentes no baldio e ficámos muito contentes com os resultados.



A técnica utilizada foi o descasque, que consiste na remoção da casca e câmbio vascular do tronco, se possível até à raiz, provocando o esgotamento dos recursos da planta e por fim, a morte da raiz, impedindo novos rebentamentos (+ detalhes no Projecto Invasoras.pt).



Assim, além de controlarmos as mimosas no baldio da Granja, foi possível contribuir para a disseminação desta técnica pelos voluntários e e pelas pessoas que ao longo do dia passaram pelo miradouro do S. Caetano.


Ao longo deste domingo solarengo, por entre acácias e não só, houve tempo de convívio e também de merenda.